Você tem mais de 18 anos?

We all love beer

Um TouR pelA HistóriA

Um Tour pela História

Hoje uma boa cerveja percorre um longo caminho até chegar à sua mesa, mas existe uma viagem ainda mais longa, que leva às suas origens, há mais ou menos 8 mil anos, em uma história tão antiga quanto interessante. Curiosamente esses caminhos se misturam porque, assim como em uma cervejaria, durante sua história, a cerveja teve de passar por várias etapas até se tornar uma das bebidas mais consumidas do mundo. Para entender bem essas duas histórias, vamos começar do princípio, com o grão, passando pelas etapas do seu desenvolvimento, até chegar ao lugar em que todos nós apreciamos, o copo.

a.C. - Mesopotâmia

Os grãos: a origem de tudo. Assim como na História, este ingrediente é o que possibilita o surgimento da cerveja.

a.C. - Mesopotâmia

Mesopotâmia

Sim. A cerveja, ao que tudo indica, não foi criada, e sim descoberta. Tudo graças a uma fermentação espontânea de grãos (ou da massa de pão) que teriam sido molhados pela água da chuva e entrado em contato com leveduras presentes no ambiente, produzindo o álcool. Estava feita a primeira cerveja rudimentar, que passou a ser apreciada mundo afora.

6000 a.C. - Suméria

O malte: a base da criação. O primeiro item a ser produzido e a base para todo o resto do processo.

6000 a.C. - Suméria

Suméria

Aqui ocorrem os primeiros registros da fabricação de cerveja. Pode-se dizer então que os sumérios deram a base para o aprendizado e para as futuras produções e para o aperfeiçoamento da bebida.

As mulheres eram protagonistas nessa história, já que, na divisão das tarefas diárias, os homens faziam o plantio e a colheita dos cereais e elas produziam alimentos derivados desses grãos, como farinha, pães e, claro, a cerveja.

1700 a.C. - Babilônia

Secagem: definindo as características da cerveja.

1700 a.C. - Babilônia

Babilônia

Dependendo da forma como são secos os grãos, são produzidas cervejas de diferentes características. Já historicamente, foi essa fase que definiu como a bebida seguiria dali para a frente.

1550 a.C. - Antigo Egito

Para a alegria e para os males também…

1550 a.C. - Antigo Egito

Antigo Egito

Chegando ao Antigo Egito, a cerveja também passou a ter uma importância divina. Ela era considerada uma bebida dos deuses, literalmente, e acredita-se que ela também era oferecida a pessoas para tratar enfermidades.

100 d.C. - Império Romano

Um passo atrás, dois à frente.

100 d.C. - Império Romano

Império Romano

Com os romanos, a cerveja foi aos poucos perdendo destaque para o vinho, que se tornou a bebida favorita da época. Mas, ao mesmo tempo, ela continuou presente dentro de grupos que apreciavam a bebida e foi ganhando novos territórios à medida que o império se expandia.

1067 d.C. - Idade Média

Fermentação: a transformação fundamental da cerveja. É aqui que a bebida evolui e ganha a forma que nós conhecemos.

1067 d.C. - Idade Média

Idade Média

No dia a dia, as mulheres eram as grandes responsáveis pela produção de cerveja – tanto como atividade artesanal quanto comercial – em bares e cervejarias. Elas eram as brewsters, algo como “aquelas que fazem cerveja”.

1760 d.C. - Revolução Industrial

Filtragem: mantendo apenas o fundamental. Enquanto para uma receita isso significa um líquido mais brilhante, para a história isso quer dizer dinamismo na produção.

1760 d.C. - Revolução Industrial

Revolução Industrial

E então vieram as máquinas para aperfeiçoar os processos e produzir em grandes escalas. Adicionando a isso a Revolução Científica, foi possível pesquisar mais a fundo as leveduras da cerveja até que, em 1876, Louis Pasteur descobriu uma variedade que permitiu a criação de um estilo de cerveja leve e agradável, que rapidamente se popularizou: a Lager.

2016 d.C. - Atualidade

Engarrafamento: pronta para servir. As duas histórias se ligam na atualidade.

2016 d.C. - Atualidade

Atualidade

Chegou a vez do copo. A espera acabou. Depois de cumprir uma jornada de milênios até chegar a um processo atual de preparação cuidadoso, que vem desde o campo até a sua mesa, a cerveja pode, mais uma vez, fazer o que vem fazendo desde sempre: ser apreciada.

Um brinde a essa bela história.